Sem categoria

Placentofagia: Há contra-indicações?

Depois que saiu a notícia de que a Fernanda Lima comeu sua própria placenta, o assunto passou a ser amplamente discutido nas redes sociais.


A placentofagia, nome que se dá a prática, é o ato portanto de consumir sua própria placenta. Em tese o consumo traria benefícios como aceleração da involução uterina com consequente diminuição do sangramento pós-parto e redução do risco de a puérpera desenvolver depressão pós-parto, entre outros.


Mas será que há contraindicações? Alguns aspectos devem sim serem levados em conta no processo de decisão, porém a escolha final é da gestante.

Durante a gravidez, o corpo da mulher atua com níveis altos de progesterona e estrogênio. Juntos, esses hormônios impedem que a prolactina, responsável pela produção de leite materno, possa atuar.

Após o nascimento e com a saída da placenta, os níveis de progesterona e estrogênio caem drasticamente. Com isso a prolactina passa a poder atuar livremente e é esperado que entre o 3o e o 5o dia de pós parto ocorra a descida do leite, chamada de apojadura. Até esse momento o corpo da mulher está produzindo o colostro, que também é muito importante aos recém-nascidos.

Ao consumir a placenta no pós-parto imediato, os níveis de progesterona e estrogênio teoricamente não cairiam da forma brusca esperada para que a prolactina possa atuar livremente. Afinal, a placenta é riquíssima nesses dois hormônios.


Na prática, isso pode não afetar em nada na descida do leite da puérpera e a amamentação fluir normalmente. Porém, em mulheres com risco de baixa produção, pode sim haver uma maior dificuldade durante o processo da apojadura.

E quais seriam por exemplo casos de risco de baixa produção de leite?

  • Hipoplasia mamária
  • Mamoplastias e outras cirurgias mamárias
  • Síndrome de Ovário Policístico
  • Distúrbio hormonais como os da Tireóide

Em situações assim, muitos acreditam que o mais recomendado seria portanto consumir a placenta em cápsulas somente após a apojadura. Lembrando que a decisão final deve ser da gestante.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *